Com mais de 20 anos de existência, a Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação, ou simplesmente Compós, surgiu em Belo Horizonte a partir da colaboração de pesquisadores dos cursos de Pós-Graduação da PUC-SP, da UFBA, da UFRJ, da UnB, da UNICAMP e da UMESP. O apoio da Capes e do CNPq permitiu a fundação em 16 de junho de 1991 da entidade sem fins lucrativos que reúne os Programas de Pós-Graduação em Comunicação do Brasil e que tem sua sede na cidade de Brasília.

Saiba mais sobre a história da Compós

A Compós tem entre seus objetivos, como observado no Artigo 4 de seu Estatuto, o fortalecimento e a qualificação dos cursos de mestrado e doutorado, bem como a consolidação do campo da Comunicação. A instituição prioriza a organização de reuniões a fim não apenas de cooperação, integração e intercâmbio entre os Programas de Pós-Graduação nacionais e internacionais, mas ainda a divulgação e o estímulo de estudos e de trabalhos, fazendo circular seus resultados e armazenando as pesquisas relevantes. Por fim, existe um incentivo da participação da comunidade acadêmica nas políticas específicas para a área da Comunicação, defendendo o aperfeiçoamento e o desenvolvimento não somente profissional e teórico, mas cultural, científico e tecnológico.

O Estatuto da instituição explicita os aspectos gerais da COMPÓS e a função dos conselhos e da diretoria

Atualmente com 15 Grupos de Trabalho (GT’s), a Compós é presidida por Julio Pinto (PUC-Minas) e vice-presidida por Itania Gomes (UFBA). Ines Sampaio (UFC) compõe a diretoria como secretária-geral. O Regime Eleitoral da instituição prevê uma eleição bienal, durante o Encontro Anual da Compós. A inscrição é feita por chapa, com um nome para cada função, e eleita pelos representantes dos programas filiados.

Veja também: