A mesa do segundo dia do GT Comunicação e Sociabilidade foi coordenada por João Freire Filho (UFRJ), vice-coordenador do grupo de trabalho. O forró durante o lançamento de livros da noite de ontem, dia 05, parte da programação da Compós 2013, não desanimou os participantes, que estavam pontualmente na sala, prontos para as apresentações.

O trabalho ‘Jornalismo de Catástrofe: políticas de solidariedade e práticas de si no discurso do humanismo mínimo’, de autoria de Angie Biondi (UFMG), abriu a manhã do GT. Maria Cristina Franco Ferraz (UFRJ) relatou o trabalho da pesquisadora, destacando a relevância temática e trazendo contribuições importantes à temática.

Já o segundo artigo dessa manhã, apresentado por Bruno Campanella (UFF) , discutiu “A celebridade nas campanhas socialmente engajadas: a formação do capital solidário”, propondo uma hipótese teórica – nas palavras do autor -, “de que a participação de celebridades em campanhas ambientais e humanitárias é capaz de produzir um capital simbólico”, chamado, pelo autor, de capital solidário.

Erika Oikawa (PUC-RS) relatou o paper de Campanella, promovendo um rico diálogo com o autor. Encerrando as discussões da manhã, Ana Carolina Escosteguy (PUC-RS) apresentou sua pesquisa, intitulada “Histórias de vida exemplares: heroísmo e melodrama e ação”, defendendo, dentre outras ideias, “a ausência de uma única resposta para a questão sobre as transformações da mídia sobre a vida social”.

Inscrições para o debate marcaram a manhã de trabalho deste grupo, que contou, na plateia, com a breve participação de Edson Dalmonte, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas (POSCOM- UFBA) e responsável pela 22ª edição da Compós.

Os artigos na íntegra podem ser baixados aqui.